Presidente da Anatel afirma: é impossível exigir planos ilimitados às operadoras

O modelo de cobrança já esta ultrapassado e precisa condizer com a realidade atual? Ok, sem problemas, maaaassssss, é preciso lembrar que o consumidor também mudou e a realidade de consumo também é outra.

O comsumo de hoje, aqui e no mundo, também mudou e a IoT vai demandar ainda mais dados.

Vamos fazer um upgrade no sistema de cobranças? Então vamos também fazer um upgrade nos planos comercializados e deixá-los condizentes com a realidade atual e principalmente eliminar a venda casada de pacotes (TV + Internet + Telefone). Sim, você tem a opção de adquirir apenas um dos 3 itens, porém, os valores são completamente fora da realidade.

Na proposta da Anatel há algumas exigências no que diz respeito a como esse limite deve ser informado ao futuro assinante, a regulamentação também pede que todos os provedores disponibilizem uma ferramenta simples e fácil de usar para que seus clientes acompanhem o uso de dados durante o mês. Após apresentar estas melhorias, as operadoras têm de esperar até 90 dias (após a aprovação de suas medidas por parte da Anatel), para que aí sim possam começar a contar o volume de dados utilizados.

Quem não pretende adotar o limite (veja o parecer das principais empresas aqui) também não precisará responder a esse plano proposto hoje pelo órgão. Segundo o próprio Resende, "a oferta tem de ser aderente à realidade", e com cada vez mais pessoas conectadas à serviços como Netflix, Spotify YouTube ou até mesmo jogos online, fica muito mais difícil permitir que os assinantes usem a rede de forma totalmente livre. Ele ainda diz que a decisão de alguns provedores por não propor uma franquia acaba "mal educando os consumidores"... [leia mais]

Comentários