Uber chega oficialmente a Salvador e prefeitura diz que irá apreender veículos

O diretor de comunicação do Uber, Fabio Sabba, argumenta que a empresa está de acordo com a política nacional de mobilidade urbana e que o serviço oferecido é diferente do que é prestado pelos taxistas. Sabba também destacou que a proposta do Uber é ser uma alternativa ao uso do carro particular pelas pessoas, e que, por este motivo, não é uma modalidade clandestina de transporte. 

"Seria clandestino se fosse um tipo de serviço que faz a mesma coisa que um táxi faz. São serviços distintos. A gente tem um time de políticas públicas que conversa com todas as esferas de poder, tanto municipal, estadual, federal. Esse serviço é 100% legal, porque tem respaldo numa lei federal", declarou. "Não se tem ainda uma regulação específica para o transporte individual privado, mas é como se fosse um motorista particular que você tem. O que o Uber faz é conectar esse motorista particular com o usuário por meio de tecnologia"... [leia mais]

Comentários